Atlético Mineiro é eliminado e sofre tempestade perfeita

At. Mineiro 25-04-2019 08:50
Por João Almeida Moreira

Corriam os últimos instantes da segunda parte, o Atlético Mineiro lutava atabalhoadamente por um golo que o mantivesse vivo na Taça dos Libertadores da América mas no contra-ataque Carballo marcou para o Nacional (antiga equipa do benfiquista Bergessio), do Uruguai, que sentenciou a eliminação do clube logo na primeira fase da competição. Imediatamente, os principais jogadores da equipa, entre os quais o ex-sportinguista Elias, caíram por terra sob o ruído ensurdecedor dos assobios dos adeptos - e no final houve confrontos com a polícia. Contrariando hábito no Brasil, optaram até pela lei da rolha após o jogo.


Sem Libertadores, o galo foi o primeiro clube brasileiro a ser eliminado, depois do São Paulo ainda na fase pré-eliminatória, fruto de quatro derrotas em cinco jogos. O clube sofre ainda com a ressaca da perda do estadual mineiro no fim de semana passado. Uma tempestade que caiu na cabeça de Rodrigo Santana, o treinador interino após a saída de Levir Culpi, demitido pela má prestação continental, enquanto não chega o substituto, que pode muito bem ser o ex-guarda-redes Rogério Ceni, hoje no Fortaleza.


«A rapaziada sentiu bastante, mas é tempo de nos unirmos, no sábado já temos mais um jogo [em casa com o Avaí, na abertura do Brasileirão-2019] e devemos recuperar o lado emocional, sabemos como é doloroso trabalhar estes dias e o resultado não vir, todos os jogadores são pais de família e sentem bastante, mas vamos sair dessa situação», disse Santana.


Mais ou menos à mesma hora, entretanto, Mano Menezes, longevo treinador do Cruzeiro, festejava triunfo - o quinto em cinco jornadas - na casa do Deportivo Lara, da Venezuela.


«Deixa-nos contentes, aumenta a confiança, mas com os pés no chão. É a primeira fase da Libertadores só. Estamos nos preparando para chegar bem aos oitavos de final e aí, na hora do mata-mata, conseguir resolver todos os problemas da mesma forma que estamos resolvendo agora aqui», disse. Sobre o facto do grupo da raposa ser considerado acessível, Mano disse que «outros clubes brasileiros também têm adversários fracos nos seus grupos e não conseguiram a pontuação que estamos fazendo».


Por outro lado, o Cruzeiro, detentor do título estadual no fim de semana passado, aumentou para cinco meses, ou 150 dias ou 21 semanas, o tempo de invencibilidade. Desde a derrota para o Flamengo na 37.ª jornada do Brasileirão de 2018, a equipa de Mano Menezes esteve em campo 22 vezes em três competições, com 16 vitórias e seis empates registados. Na partida na Venezuela, marcaram Fred, um golaço, e Sassá.
 

Ler Mais
Comentários (0)

Últimas Notícias